Feijocada de porco com importações gálicas

Em Lisboa, nas traseiras do edifício do mercado da Ribeira, há uma loja fantástica, com produtos que tenho dificuldade em encontrar no resto da cidade. Entre outros, é lá que me abasteço de feijoca - e nada melhor que leguminosas para comer neste frio de centro de Europa.

Parti pois para uma composição de feijoca e carne de porco, a que acrescentei alguns mimos trazidos de Paris. E assim...

1. De véspera, as feijocas postas de molho.



2. Rojões de carne de porco, cortados em tamanho que dispense o corte no prato.



3. Um refogado de cebola picada em azeite e um pouco de água, feito com lume condescendente para cozer mais que esturricar, ao qual se acrescentará a carne quando aquela estiver translúcida e a água evaporada.



4. Os temperos: piment d'Espelette (pimento do País Basco francês, reduzido a pó, com algum picante, muito aromático), para dar cor e sabor, um pouco de noz moscada e uma sugestão de cominhos,


um dedal de aguardente aromatizada com casca de laranja,


e uma colher de rillettes de canard (para engrossar o molho e dar textura e sabor).




5. Anteriormente e para outra festa, cozi um saucisson pistaché em água aromatizada com grãos de pimenta preta, de coentro e duas bagas de zimbro (30 sem deixar ferver em cachão, desligar e esperar mais 5 minutos, Paul Bocuse dixit). Aproveita-se assim esta água de cozedura e a salsicha reservada, a que se juntam batatinhas descascadas (poucas e só por graça).



6. Uma voltinha e hop!, entram as feijocas, deixando ferver (eu usei a panela de pressão e foram cerca de 20 minutos).

Coentros picados e o saucisson e desligar quando levantar fervura.



7. E pronto. É mesmo confort food.

Comentários

Nos últimos 30 dias...