Algarve, roadbook parte 1 - Castro Marim

No âmbito do Festival da Dieta Mediterrânica, integrado no projecto SlowMed, organizado localmente pela In Loco, no âmbito de uma cooperação inter-estados mediterrânicos, com o apoio da UE, foi organizado um percurso gastronómico por todo o Algarve, com o intuito de dar a conhecer, aos participantes estrangeiros e não só, algumas das especialidades da região.

Magical Mystery Tour, lhe chamaram e teve um pouco de cada: a magia que as paisagens emprestam, da placidez do Guadiana, junto a Alcoutim, à vertigem do promontório de Sagres, o mistério dos saberes ancestrais que transforma cada matéria prima em deliciosas - à vista e ao sabor - preparações.

Nesta série, impressões e visões das várias paragens.




Historicamente, Castro Marim será um dos mais injustiçados concelhos portugueses. Praça importante na defesa da fronteira - as muralhas defensivas ainda se mantêm, altaneiras e bem recuperadas - viu ser-lhe amputada parte da extensão a favor da obra visionária do senhor marquês (Sebastião José de Carvalho e Melo, ministro plenipotenciário de D, José, detentor do poder de facto, para glória de Sua Majestade e proveito seu), a mui bela e urbanisticamente racional Vila Real de Santo António.

(Fonte: viajar.clix.pt)

Castro Marim tem nas suas salinas e respectivos produtos, o melhor - pelo menos o mais turisticamente relevante - cartão postal.

Castro Marim e as diversas salinas circundantes (Fonte: Jornal do Algarve)
Na Casa do Sal, espaço multimédia inaugurado em 2014, instalado no antigo edifício da Balalaica, de armazenamento de sal, foram os presentes iniciados à actividade de recolha e produção de sal marinho e às variedades existentes.





O edifício do antigo mercado da vila, hoje sede do posto de turismo, recuperado com sobriedade, concentra o que de melhor o concelho produz, permitindo aos interessados uma visão global e um mais largo leque de escolhas.











Aproveitando a oportunidade, deslocar-nos-íamos posteriormente às salinas da Salmarim, onde comprovámos a excelência da flor de sal da região e, como prémio extra, descobrimos a diversidade de salicórnias que, à beira dos tanques, selvagens nascem.







E partimos para Alcoutim.

Comentários

Artur disse…
A primeira etapa de uma viagem de (re) descoberta de um outro Algarve.

Nos últimos 30 dias...