Esparguete: algumas dicas

Mais do que no arroz (no risotto até aprovo... mas é uma excepção), detesto na massa o efeito unidos-venceremos. Vocês não? Imaginem aquele esparguete fininho, retorcido, brilhante, ávido de ser trincado... repulsivamente agregado em grupos de cinco, seis, dez! Uhrrg!....

Aprendi à minha custa (you did it, you eat it!) que há coisas que se devem evitar - e atirar a massa para a panela, adeus até daqui a um bocado que vou lá dentro ver as notícias, é - definitiva, absoluta e comandatoriamente - uma delas. Como tudo na cozinha, um esparguete quer-se adorado, acarinhado, cuidadosamente acompanhado...

Mas há truques. E, do mesmo modo que os capitalistas inteligentes de antanho, em vez de zurzir nas massas reivindicadoras, sabiam que o melhor método de ganhar a batalha era através da divisão das mesmas, também neste caso o segredo passa por aí: introduzam gordura na água e verão como tudo se tornará mais fácil. Escusado será dizer que a gordura ideal é o azeite, mas outras poderão (ainda que com penitência...) ser usadas. Ajudar o azeite também é bom: o esparguete, assim que entra no banho, deverá ser remexido com um garfo, anulando paralelismos, cruzando-o, recruzando-o, desfazendo relações de vizinhança (neste caso a sociologia não tem nada a objectar), quebrando para sempre o alinhamento do pacote.


Depois, coloca-se a questão do sabor. Mas... o molho, dirão, o molho não faz isso tudo? Fará se lhe quiserem colocar sobre os ombros toda a responsabilidade... E se não se quiser fazer molho, se o objectivo for uma massa rápida que acabei de chegar a casa, cansado e esfomeado e só quero um prato de pasta o mais depressa possível? Pois, uma coisa sensaborona não ajuda muito ao regalo, não é?

Aromatizem então a água de cozedura com ervas - manjericão de preferência, coentros ou oregãos - e verão o sabor com que o esparguete fica!


Por maior que seja a tentação, não lavem a massa no final - escorram-na (nada de desligar o lume e a deixar a marinar na água - continua a cozer...) e ponham-na na mesa o mais rapidamente possível. E se querem qualquer coisa rápida para lhe dar um toque extra, aqui vão algumas sugestões, para fazer enquanto a massa coze:

1. Azeite, alho e malagueta

Aquecer lentamente um fundo de frigideira de azeite com 4 dentes de alho em lamelas. Acrescentar, conforme os gostos, 0, 1 ou 2 malaguetas pequenas (verdes ou vermelhas). Mantê-las fechadas ou, se estiver muito calor e quiser sudar em abundância, ter um acto de bravura e abri-las ao meio, espalhando as sementes pelo azeite. Espere só até os alhos começarem a ganhar cor.

2. Limão e ervas

Picar manjericão e salsa. Derreter manteiga (3 colheres), acrescentar as ervas e o sumo de dois limões. Desligar o lume e misturar bem.

3. Azeitonas e hortelã

Juntar à pasta pronta as azeitonas sem caroço, folhas picadas de hortelã, dois dentes de alho picados e muita salsa picada. E um fiozinho de azeite. Mexer loucamente e servir de imediato.

Boas experiências e bom apetite!

Comentários

Nos últimos 30 dias...