Bôlas de carne


Eu sei que não existe bôla mas chamar bóla a algo que é tão mais que uma coisa que se chuta ou anda a rolar pelo chão ou presa nos dentes de um cão (como nos ensinou o insigne Professor Zé Barata-Moura) é algo com o qual não me conformo.

Hoje o tema é boulas ou bôlas ou ainda bolas de carne com o o circunflexado; porque se aproximam as Festas e este é o tempo das reuniões familiares e da tentativa de manutenção das tradições e nada melhor do que uma bola para incentivar a troca de receitas e as comparações. Eu tenho três receitas oferecidas por mãos diferentes e começo por dizer que das três gosto muito. A primeira é um regalo, vinda de um tempo de vagares; as outras duas são expeditas, fazem-se muito mais rapidamente mas não são menos apetitosas. 

Como de costume, as vossas opiniões são bem vindas e a partilha também. Há por aí mais bolas originais candidatas à imortalidade electrónica?

BOLA LECAS

Desfazem-se 50 gr de fermento de padeiro num copo de água de leite morno. Juntam-se 2 ovos inteiros a 4 batatas cozidas, desfeitas em puré fininho, 1 colher de sopa rasa de manteiga, meia chávena de banha derretida e sal q.b. Liga-se tudo muito bem com uma colher de pau e, por último, junta-se farinha de trigo até tender. Faz-se uma bola na mão e depois tende-se na tábua em rectângulo. Recheia-se com fatias de presunto e salpicão, enrola-se como se fosse uma torta, põe-se num tabuleiro e deixa-se repousar um pouco. Para ver se está levedada tira-se um pouco à massa logo que se acaba de tender, faz-se uma pequena bola e coloca-se num copo de água. Quando a bola vier ao de cima, está boa para ir ao forno, untada com gema de ovo.
Vai a forno quente. Para verificar a prontidão, espetar um palito na massa; quando sair seco, está pronta.
Também se podem fazer bolinhos com esta massa, não usando as carnes e deitando um pouco de açúcar ao amassar. Servem-se quentes, abrindo-os e barrando com manteiga.


RECEITA DA PRIMA ALICE

1 chávena mal cheia de óleo + 5 ovos;

1 chávena de leite + 3 chávenas de farinha self-raising;

1 pouco de sal;

Carnes partidas aos bocadinhos (+/- 1 chávena) - fiambre, chouriço, presunto, paio, etc.

Forno quente


RECEITA DA ALEX

500gr de farinha
30 gr de fermento de padeiro
2 ovos inteiros
1 c. chá sal
1 copo de leite grande
1 c. sopa margarina
carnes frias a gosto

Forno quente

Algumas notas: receitas transcritas exactamente como me foram passadas, para manter o gostinho da-boca-pró-ouvido. Eu sei que são um bocadinho impróprias para principiantes receos@s e muito pouco contemporâneas destes tempos de precisão digital. Que importa se não ficar perfeita à primeira? O caminho vale tanto como o resultado final! (Hum... na verdade não, mas se a nossa aprendizagem não for feita em parte de trial and error como é que vamos algum dia aprender a vida?)

Comentários

Ana J. disse…
Cá vai... se a receita é ou não digna de se imortalizar, isso deixo ao critério de quem a faça. Para mim é especial, uma vez que é uma receita da minha mãe.

http://chocolatissimooo.blogspot.com/2009/05/bola-de-carne-transmontana.html
PedroCG disse…
Obrigado Paulo, pela gentileza.

Obrigado, Ana, pela partilha, a receita parece-me, obviamente, de imortalizar - só os 12 ovos metem medo ao meu colesterol... :-)
Ana J. disse…
O que é que são 12 ovinhos quando pecamos com um abade priscos, um toucinho de céu ou uns simples ovos moles? Esses, sim, são os meus pecados... e nunca faltam lá por casa, nesta época natalícia.

Ana

Nos últimos 30 dias...