See you, Sea Me


Abriu há menos de um mês, na Rua do Loreto (que é a rua que liga o Chiado ao Largo do Calhariz, onde está o "palácio" da Caixa Geral dos Depósitos), um restaurante dedicado aos produtos do mar. Chama-se "SEA ME" e os seus proprietários nele procuraram uma amálgama de vários conceitos numa tentativa - penso eu... - de diversificar clientelas e procurar tapar eventuais e temporários financeiros de uma área com o sucesso das outras. Assim sendo, ele é, em simultâneo, um restaurante e uma peixaria, um local de grelhados, um sushi-bar e uma marisqueira. Confusos? No local, a coisa parece não resultar mal, ainda que o lado da venda directa me pareça subvalorizado e pouco incentivado, mais um subproduto que uma actividade estrela. O que é pena. Tirando a peixaria do El Corte Ingles e algumas bancas espalhadas pelos mercados municipais, não há muitos locais onde se possa encontrar não só bons espécimes como um bom aconselhamento sobre os mesmos, melhores maneiras de os preparar e - aqui viria a mais valia deste local - receitas alternativas.

O espaço em si é visualmente acolhedor, trabalho óbvio de arquitecto (por oposição ao trabalho de jeitosos ou curiosos que muito pulula pela capital), ainda que com algumas falhas. Não se compreende, com a legislação existente e com as campanhas de sensibilização efectuadas desde há anos, que um espaço refeito totalmente, apresente barreiras arquitectónicas a deficientes, como é o caso, com a existência de degraus (em vez de rampas) entre a rua e o nível de entrada e entre este e o espaço restaurativo. Não compreendo igualmente como os técnicos camarários aceitaram esta solução no licenciamento ou como a deixaram passar na fiscalização. Enfim, buracos nas malhas que a autarquia tece... Segundo ponto negativo é o recurso, em parte das mesas, a bancos - são desconfortáveis! Podem resultar muito bem na fotografia, mas desafio quem os escolheu a passar duas horas à mesa sem um apoio lombar. Talvez resulte para masoquistas e atletas... mas é só esse o público alvo?

Vista geral da sala (fonte: site dos autores do projecto 4+ Arquitectos:  aqui)

Dedicando a nossa atenção às opções culinárias e ao que é posto à disposição do cliente.


Do lado do peixe, não notei nas duas vezes que lá fui, diferenças em relação à oferta da maioria dos restaurantes especializados: independentemente da frescura e qualidade que aparentam, a variedade é limitada - cherne, salmonetes, besugos, linguados, raia, robalo, chocos, mais os habituais produtos "de piscina". Do mesmo modo, entre crustáceos e moluscos as opções de escolha não passam do trivial ainda que se faça a reserva das respectiva frescura e qualidade: lavagante, lagostins, camarão tigre, ostras, mexilhão... Como peixaria, valerá a pena a viagem? Já que se pretende diferente e marcante, não valeria a pena alargar a pesquisa de fornecedores e procurar noutras lotas o que a de Lisboa não oferece?

Belíssimas peças tem o sushi-bar - como seria exigível - a merecer aprovação sem reservas.





Quanto à cozinha - e só se experimentaram pratos da carta de entradas e do sushi-bar - só tenho uma palavra: excelente. Preparação cuidada, fritura no ponto, óptimo sentido de combinação e arranjo no prato. Alguma inventiva nas preparações e um correcto sentido do gosto. A experimentar e a re-experimentar vezes sem conta - porque a equipa merece ser incentivada e provocada a alargar ainda mais o seu espaço de criação. Uma única chamada de atenção (asneira felizmente ausente na segunda visita) para o estado de conservação da salada apresentada no prato: folhas com as pontas acastanhadas, indicador de excesso de tempo no frigorífico são de todo inaceitáveis em qualquer espaço restaurativo.

Pataniscas de caranguejo.
 A salada ao fundo, completamente inapropriada para consumo,
má nota para quem aprovou a sua utilização.

Pataniscas de caranguejo: saborosas!

Carpaccio de atum, a frescura do tonídeo numa bonita apresentação,
infelizmente afectada pela má qualidade das verduras, veja-se as pontas da alface frisada
e as folhas murchas das alfaces de cordeiro

Vieiras coradas, tártaro de manga e flor de sal: boa cama, bela apresentação, melhor sabor

Hot salmon: Um makisushi com salmão (cozinhado?)
e pera abacate envolto em polme e frito
Hot salmon

Línguas de bacalhau em tempura

Tarte de alfarroba com gelado de figo


A carta de vinhos é bastante razoável na extensão e diversidade, com a agradável característica de incluir algumas referências a copo, o que é de saudar.

Os preços das duas cartas são correctos - simpáticos mesmo, para a qualidade apresentada.

Quanto ao serviço, fomos confrontados com duas equipas diferentes, não se percebendo se alternam dias, horários ou foi apenas o acaso de folgas. Ao almoço, gente muito nova, com alguma falta de experiência, compensada largamente pela simpatia genuína e vontade de agradar. Dá gosto sentir esta preocupação com o cliente e perceber veracidade nas acções. Já a segunda "versão", ainda que com um registo mais profissional, pareceu-me pouco natural, forçada mesmo. Onde antes se sentia calor, descobriu-se frieza. Onde antes se adivinhava alguma inexperiência e "naiveté", sentiu-se agora mais "escola". Profissionalismo que ficou manchado, no entanto, pela lentidão de procedimentos: apesar da sala estar longe de repleta, os pratos ficaram minutos no balcão à espera de serem levados para as mesas e a distracção foi uma constante, sendo quase sempre necessário chamar a atenção do funcionário para pedir algo.

Quanto à mesa, contradições que não precisavam de existir, parecendo ser produto de um conceito mais racionalizado que sentido: o "espírito de uma peixaria de bairro" reproduzido nas mesas de madeira com toalhas de papel e copos de vidro grosso mas contrariado pelos guardanapos de pano e talheres Cutipol. Belíssimos talheres, note-se e confortáveis guardanapos...



Resumindo: apesar das falhas, o "Sea Me" merece a visita. Não sei quanto tempo durará - anunciar um restaurante como "trendy" é pisar uma mina: as modas não são efémeras? - mas, pela cozinha, mereceria durar. Quanto ao resto - e já que os degraus e os bancos não serão fáceis de remover... - aumentem a diversidade de oferta do peixe, criem suficientes alternativas para estabelecer a peixaria como uma referência e não como uma curiosidade, esqueçam a moda e estendam a todas as horas a vontade de colocar o cliente acima de tudo e terão um negócio florescente.

Classificação: Cozinha - 4.3/5 ; Global: 15.6/20

Sea Me - Peixaria Moderna
Rua do Loreto, 21 Lisboa - junto ao Largo de Camões
Telefone: 21 346 15 64/65

Comentários

Anónimo disse…
Exmo. Sr.


Queriamos em primeiro lugar agradecer a critica construtiva no que concerne a sua visita ao nosso espaço, SEA ME - Peixaria Moderna.

Encaramos as criticas como pontos a serem rectificados e só com estes dados é possível identificarmos os erros a fim de melhorarmos diariamente.

Informamos que passámos as suas considerações ás equipas responsáveis por cada uma das áreas em análise (atendimento e cozinha) e acreditamos que serão alvo da maior atenção.

Não poderiamos contudo deixar de o informar que abrimos apenas no dia 16 de Novembro, sendo que nos encontramos em fase de pré-abertura até final do mês de Dezembro, não tendo por isso efectuado quaisquer comunicados de imprensa ou publicidade.

A carta não é a definitiva (está mais curta) e o reforço da venda de peixe e marisco são uma das nossas apostas até final do mês de Dezembro.

A ideia que teve como base a criação deste projecto é efectivamente recriar o imaginário das peixarias, num ambiente assumidamente moderno, com a introdução de uma oferta diferenciadora a preços justos.

Para isso dispomos de viveiros próprios e de fornecimentos diários vindos de Olhão e Peniche, garantindo a qualidade das matérias-primas utilizadas.

Contamos com a sua próxima visita a fim de verificar as melhorias implementadas.

SEA ME
Peixaria Moderna
PedroCG disse…
Caros SEA ME,

Parabéns pela atenção e pela postura de melhoramento que revelam - é sempre de saudar quem entende que, num negócio e em particular neste negócio, existem duas partes a terem de sair satisfeitas.

Não foi, de facto, num comunicado ou em publicidade vossa que encontrei a referência a "trendy" como caracterizadora do projecto - foi nas páginas que lhe foram dedicadas na edição nº 148 da revista "Materiais de Construção" (ver aqui - http://www.apcmc.pt/publicacoes/Revista/Revista_148/img/arq_sea_me.pdf). Concluí que o texto teria a vossa concordância, daí a assumpção.

Não sendo essa uma característica que estejam dispostos a explorar, óptimo - como escrevi, parece-me redutora, para além de "perigosa".

Voltarei com certeza, porque a cozinha me agradou e porque, desde agora, fico curioso para descobrir como evoluirá a versão "peixaria" do negócio.
Anónimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse…
Pedro fui ao “Sea Me” pelo eu blog, passei gostei do aspecto e voltei este domingo
Um decoração agradável com iluninação a lembrar industria , grandes espaços e cuidada desde as paredes com detalhes de luz e acabamentos simples mas com bom gosto e a fiuncionar.
O mesmo no tratamento do tecto algo difiçil neste tipo de design de loja

As mesas estao bem colocadas e quebram a monotonia de um loja em rectangulo, com loiça branca simples mas de qualidade e copos tipo Portugues suave terminando com talheres de marca portuguesa com qualidade apesar de incompletos.
Fomos recebidos com simpatia por uma empregada jovem lembrando os paises Nordicos onde e habitual os estudantes trabalharem para arredondar o mês e tornar o ambiente bem melhor que a frieza do prof.
A mesa foi rápidamente preparada.
O Pão e bastante agradavel sem ser constante a sua cozedura ou seja passa de bem a mal cozido em cada pedido.
falta manteiga talvez or isso não tem faca de manteiga o que me obrigou a usar a do peixe quanto ao azeie com a pinga do balsamico considero o muito visto.
No que se refere ao que me fez visitar o " See you Sea Me"
Pedidos os respectivos peixes após ver a montra como no mercado do Peixe e de imediato saltou a vista que um habiue da casa chagava via e comia o que confirmei pois o nosso pedido foi anterior ao do dito casal mas chegou bem depois ultrapassado o limite estaou os ditos vizinhas já no peixe e nós a vermos.
O conjunto do sushi-bar e seus derivados esta bastante bem.
O peixe soube demasiado a chapa e oleo lembrando um puco a grelha Espanhola tanto o Robalo como os Carapaus. E deixou um sabor desagradável para o resto do dia, algo a rever rápidamente.
Ambos acompanhados com 3 exactamente 3 batatas quase frias e uma couves com tiras de pimentos que deitavam a agua para o prato, talvez para repor o peixeno seu meio natural , a nadar
Mas o melhor esta guardado e estava para o final.
Quando tentei confirmar a conta no que se refere ao peixe a peso nada batia certo.
pedido ajuda a menina fiquei a saber que levavam 6 euros por empratamento ?? estranho pois nada esta marcado, escrito ou falado na lista o que no minimo não e permitido nem mesmo em rodapé , em anotações na errata .
A empregada com a maior simpatia tentou explicar mas sem sucesso o que para ela propria não tinha explicação.
Seguidamente apresentou-se um dos donos que novamente tentou explicar o enexplicavel ou seja começou dando a entender que a culpa seria da empregada ( o que não se faz) e depois que eu estava numa peixaria e que podia levar o dito peixe para casa ou comer no local o que eu não sabia e que o dito empratamento tinha um preço que não consta em NADA desde listas a placares a neons NADA, sorte a minha não serem 10 ou 50 euros para empratar ,mais se tenho que pagar posso escolher o que quero ou gosto e não comer e calar se tiver descrito na lista as regras do jogo são claras e honestas assim NÂO.

Pedro Cunha
PedroCG disse…
Não muito boas novas que nos trazes, Pedro...
Em relação à qualidade da cozinha e ainda que confirmes a minha opinião da parte sushi, referes a fraca qualidade dos acompanhamentos do peixe grelhado e à menor excelência da grelha. É uma pecha habitual na maior parte dos restaurantes nacionais o pouco interesse que se dá aos acompanhamentos - batatas mal cozidas, couver para além do ponto... Pensei que o Sea Me, pela excelência que procura e que evidencia do lado "crú" estivesse acima disso. Esperemos que a correcção de trajectória seja breve.

Quanto ao segundo ponto, é grave apor-se um sobrecusto sem comunicação prévia (aliás, acho que é proibido por lei...) e demonstrativo de falta de consideração pelos clientes, distracção que me parecia arredada do restaurante.

Pode ser que seja mesmo distracção e produto da tal pré-abertura que a gerência referiu mais acima. Pode ser.

Será que, até agora, todos os clientes que comeram peixe cozinhado foram também distraídos e não deram pela taxa de empratamento?
Anónimo disse…
Exmo. Sr. Pedro Cunha,


No seguimento da sua critica, vimos por este meio informá-lo que a mesma será alvo da mais atenta análise por parte das nossas equipas.

Tal como já tivemos oportunidade de informar através deste blog, encontramo-nos num processo de aprendizagem e de pré-abertura até final do mês de Dezembro e nesse contexto todas as criticas são bem-vindas, tendo apenas como único propósito a melhoria contínua.

Relativamente ás observações que elabora, gostaríamos de efectuar os seguintes comentários:

1. O peixe que chega diariamente das nossas lotas encontra-se disponibilizado no SEA Me a preços por kg bastante competitivos e muito abaixo do praticado na restauração. Esta politica de preços advém de termos serviço take-away e que faz jus á nossa assinatura - Peixaria Moderna. Acresce ao preço por kg os dois acompanhamentos que variam diariamente e que custam 3.00€/cada, sendo que o preço final do prato continua a ser justo e abaixo do mercado.

2. É de todo legítimo da sua parte mostrar surpresa, dado que efectivamente por lapso da equipa que produziu as cartas provisórias (pré-abertura) não se encontra mencionado o custo dos acompanhamentos para os pratos de peixe. As novas ementas entrarão na segunda quinzena de Janeiro e terão essa informação detalhada, evitando deste modo quaisquer dúvidas relativamente ao preço final.

3. De forma a evitar situações como a sua, as equipas de sala deverão informar previamente o cliente, algo que não sucedeu na sua visita e para o qual pedimos novamente as maiores desculpas.


4. A gerência para além do pedido de desculpas pelo incómodo de lhe cobrar 6.00€ sem informação prévia, apenas lhe podia efectuar a devolução do montante, algo que sugerido e negado por si no local.



Votos de boas festas.


SEA ME
Peixaria Moderna

Nos últimos 30 dias...