Paris, 2011 #3 - Peixarias

Era com esta variedade que eu gostaria de me deparar num peixaria a sério de Lisboa. Aliás, era com esta variedade que eu me gostaria de deparar em qualquer peixaria de Lisboa.


























Comentários

Ana J. disse…
Dessa variedade só me fez inveja as vieiras frescas pois o mercado que frequento é bastante diversificado. Ainda este fim de semana vi por lá Sável e eroses. E como sou fiel à mesma banca o senhor faz-me sempre imensos "favores", peixinho sempre arranjado, sejam filetes de sardinha, peixe galo, filetes de peixe espada, jaquinzinhos. É uma amor. Trocamos receitas e tudo.

Ana
PedroCG disse…
O nome dessa banca, imediatamente faz favor. Pessoas como essa merecem ser denunciadas pelo serviço de interesse público que prestam! E sem choques tecnológicos!
Ana J. disse…
Penso que não lhe fique em caminho, pois situa-se na Margem Sul do Tejo, onde os mercados (alguns) têm uma qualidade muito boa. Mas aqui fica a dica para os interessados - Mercado Muncipal do Laranjeiro - a banca de peixe do Senhor Zé, logo das primeiras, do lado esquerdo, quando se entra no mercado. O senhor trabalha com a filha e uma neta. No caso de visita ao mercado, visitem também uma lojinha pequenina que se situa ao pé do multibanco, de um casal velhote de alentejanos, que vende umas azeitonas fabulásticas, impróprias para o colesterol, tal é o tempero das mesmas. Vendem também enchidos óptimos e caso consigam ir cedo pode ser que apanhem requeijão de serpa (esgota com uma facilidade...). Se forem mais aventureiros, façam um desvio até Corroios (2 a 3 km) e tentem descobrir mini-mercados que vendam pão de Cuba. É soberbo. Também aqui, o pão esgota e quase todo é encomendado de semana para semana. Só há às terças e Sábados.

Ana
PedroCG disse…
Ora aí está. Obrigado pela partilha. :-)

Nos últimos 30 dias...