Gastroescritas #5 - Mes chemins de Table, JP Gêné



"Este não é um livro de receitas.
Este não é um livro de cozinha.
Este não é um livro de crónicas.
É a história dum tipo que gosta de comer bem e que cozinha.
É a história de um loreano que se fez parisiense sem esquecer a quiche lorraine e a mirabelle.
É a história dum jornalista que experimentou quase todas as cozinhas e para quem a francesa continua a ser a melhor.
É a história dum comedor engajado e de um cronista independente, atento ao planeta, resistente à estandardização do gosto, defensor do bio e do prazer e que partilha a divisa do movimento Slow Food "Bom, Limpo e Justo".
Desde 2004, conta as suas aventuras no Le Monde magazine. Seleccionando as rubricadas publicadas, JP Gêné, relembra a sua história pessoal que nos conta em paralelo. Oferece-nos assim, mais que uma recolha de crónicas, um itinerário gastronómico e histórias do gosto num momento onde a nossa relação com o copo e o prato está em plena mutação." (Texto de apresentação da contra-capa)

Este é o meu tipo de livro. Receitas, neste tempo, são apenas questão de googlização. Já uma opinião, um registo de experiência, uma confidência de sentidos, são muito mais difíceis de encontrar. E este é um desses refúgios onde nos podemos regalar.

Será um pouco difícil de internacionalização, já que recorre frequentemente à cumplicidade que só é possível encontrar nos conterrâneos - a mesma matriz cultural, as mesmas memórias, a mesma História. E, no entanto, o amor pela comida, pelos alimentos, o prazer que os sentidos nos proporcionam, são universais pelo que, editor português entusiasmado que me estás a ouvir, arrisca pá, quem sabe?

Boas leituras!

Comentários

Nos últimos 30 dias...