A França por regiões #16 - Haute-Normandie

(Fonte: Wikipedia)
Poder-se-ia começar em romanesca peregrinação, pelos caminhos normandos de abadias de devoções perdidas nos tempos. Como Jumièges.

(Fonte: normandyvision.org )
Ou olhar um pôr-do-Sol em Giverny e pensar no modo com a luz construía as ambiências nas telas dos impressionistas que nela sejornaram. Melhor ainda, fazer o mesmo na vizinha Vernon, a entreter um cálice de Noyau de Vernon (licor à base de caroço de cereja) (aqui, lista e endereços de produtos do terroir)


Eu recomendo - porque já o fiz... - fazer a síntese em Rouen: instalar-se num confortável hotel da parte velha e partir para deambulações diárias - lentas, pausadas, reflectidas deambulações - pelas ruelas cenografadas com edificações medievais, de estrutura de madeira à vista, pelas várias igrejas góticas e pela grande catedral de que Monet se apropriou para sujeito de uma das suas mais conhecidas séries de quadros.

Claude Monet,  La Cathédrale de Rouen. Le Portail et la tour Saint-Romain, plein soleil
Musée d'Orsay
(fonte: Wikipedia)
Talvez ainda tenha os olhos cheios dessas volutas, arcobotantes e pilastras, das torres assimétricas, dos portais ornados de didatismo e das mutações de côr captadas pelo pintor e plasmadas nas telas quando, à noite, à mesa, se iniciar nos prazeres de um canard au sang/caneton à la rouennaise.

Prensa (de prata) para extracção dos sucos do pato, essenciais na receita
Repousados pela cidade, poderá sempre procurar o campo, encontrar um bosque com um ribeiro diáfano para um almoço campestre, tendo os produtos do pays por únicas estrelas: um Neufchâtel bem curado, uma tarte de maçã, uma fresca garrafa de cidra tradicional.

Neufchâtel
(Autor: Myrabella ; Fonte: Wikipedia)
Arsène Lupin - de quem os ligados à televisão a preto-e-branco se lembrarão - foi o responsável pela notoriedade de Etretat e a sua Aiguille Creuse.

(Fonte: http://www.campingaiguillecreuse.com/gb/region.html )
Por ela se pode passar, a caminho de Fécamp em abastecimento grave do seu digestivo que homenageia os seus criadores beneditinos no Palais Bénédictine.



Digestivo para tomar já em casa, nas longas noites invernais, a embalar a memória das pequenas vilas da costa, dos seus restaurantes, das coquilles Saint-Jacques em camada de alho francês, ou das tartes, cremes ou pommes flambée au Calvados.

Acabe-se em Dieppe este périplo normando, em descoberta do Hareng-saur.


E brinde-se com um fresco Poiré (que "é" a cidra das peras). Poiré de Domfront, AOC desde 2001.


Quanto a restaurantes...

Um único 2 estrelas, o Restaurant GILL, em Rouen, chef Gilles Tournadre




(Fonte:  cartesurtables.com)
Dos vários 1 estrela, destaque imagético para os

AUBERGE DU DUN em Le Bourg-Dun, chef Pierre Chretien,








Restaurant Jean Luc Tartarin em Le Havre,





E ainda o Les Terre-neuvas, em Fecamp, chef Guillaume Lenoir, que não tem estrela mas tem uma bela vista e uns pratos belos






E pronto.Mais um fim-de-semana, mais um passeiozinho...

Comentários

Nos últimos 30 dias...