Um Perú em Lisboa

Estavam a tornar-se um segredo pouco secreto e agora transladados, no tempo e no espaço, para as Sextas-feiras e para o restaurante Isaura, os Jantares Peruanos ameaçam tornar-se um caso sério de divulgação de uma das mais estimulantes cozinhas do mundo.

A semana passada foi lá a Alexandra, nesta fui eu o enviado especial da webia.

Ao contrário do que pressupunha, não nos esperava nem uma tertúlia nem uma apresentação formal - antes a simpatia dos organizadores, Vasco Pimentel e Gabriela Ruiz (que também cozinha) a cirandar por entre os convivas, explicando, contagiando com o seu entusiasmo e amor pelo país de nascimento/adopção, muito bem acompanhados pelo profissionalismo e atenção da equipa do Isaura.

Para início, um Pisco Sour, clara de ovo em castelo a coroar o casamento do pisco - aguardente peruana - com sumo de lima, gelo e xarope de açúcar, baptizada com três toques de Amargo de Angostura. Com um sabor diferente da nossa aguardente, surpreende quem nela se inicia mas, citando o poeta, primeiro estranha-se, depois entranha-se...



Como entrada, um trio de degustação:

Yuquitas fritas com Ocopa (mandioca frita com molho de Ocopa) ; Ceviche de merluza fresca (pescada fresca, crua, brevemente marinada em sumo de lima, sal, ervas aromáticas frescas, cebola roxa, alho, gengibre e Ají Limo) ; Causa a la limeña (frango e verduras enroupados em puré de batata).




Dizem-me as minhas fontes que a Causa é um pastel tradicional dos Verões de Lima, consistindo numa capa de puré de batata com ají amarelo (ají é o conjunto de variedades peruanas da malagueta /capsicum) e limão, envolvendo um recheio que tem tantas variações como donas de casa e cozinheiro tem a cidade. De proximidade lusa temos o empadão de carne ainda que este recheio fosse muito mais leve e com uma frescura no palato que o nosso não tem.

De ir à cozinha pedir repetições várias estava o Ceviche. Peixe fresquíssimo com a precisão de ser só brevemente marinado no ácido da lima, composição equilibradíssima! Um íssimo a explicar porque se tornou prato obrigatório em todos os jantares peruanos.


Juane con Frijol & Tacacho, o prato principal, pertence à tradição culinária da selva amazónica peruana.  Um Juane é, segundo o Vasco, "uma peça de frango, escondida dentro de uma bola de arroz aromatizado, escondida dentro de uma Folha de Bananeira". Já o Tacacho "é um preparado à base de Banana-Pão e pedacinhos de toucinho crocante, frito".




Obviamente menos elaborada que os pratos de regiões mais ricas em termos de ingredientes ou de disponibilidade social, a cozinha amazónica não deixa de oferecer as suas surpresas a quem a quiser disfrutar. O Tacacho é delicioso e, por mim, uma refeição só a feijão e tacacho já me deixaria feliz.

A finalizar, Mazamorra Morada, um "creme morno de milho roxo com pedaços de fruta cozida ao mesmo tempo", a fazer lembrar a farinha maizena dos pequenos-almoços da infância, com um toque de gelatina de uva.


Prometem, estes jantares.

Todas as Sextas-feiras, das 20 às 23:30 20€, preço fixo
Restaurante Isaura
Av. de Paris 4, 1000-228
Telefone: 916046197 ; https://www.facebook.com/pages/Jantares-Peruanos-em-Lisboa/248388108572444

Comentários

Anónimo disse…
Parabéns ao autor do artigo, pela descrição pormenorizada, mas clara, sem perder "pitada".

Nos últimos 30 dias...