A França por regiões §1 - Linhó

O Cyril tinha-me avisado, no seu português de sucesso Michelin, "descobri em Linhó uma charcuterie do caraças, a andouillette é verdadeiramente sensacional" e eu tinha respondido no meu português pequenino de quem não acredita em milagres ainda por cima no Linhó, "sério? talho que faz salsichas francesas?" para ser semi-convencido com um "não, é uma charcuterie mesmo, de um francês que se instalou cá".



Et bien. No Sábado lá me meti a expediçãocaminho, decidido à descoberta desse fenómeno, um francês que não só se decide a imigrar para o P dos PIGS tão merkelianamente malvistos como escolhe para porto de abrigo uma terra entre, em termos de massa crítica, nada e coisa nenhuma. O Linhó?



(Pausa. Afinal, fenómeno é o Linhó: talho gourmet com duas sucursais face a face, três restaurantes com bom aspecto e ementas prometedoras e uma charcuterie com galicismos genuínos. Ou a Beloura está mais povoada do que pensava ou a terra gera uma corrente gastromagnética suficientemente forte para chamar gente de Lisboa ao Cabo da Roca. Considerando o meu exemplo...)

Seja o Linhó. Na rua principal, em recatada reentrância, uma placa com o nome - "Chez Jules" - e placards com os produtos do dia. Em casa do Jules as vistas são várias, da charcuteria aos queijos, das especialidades regionais a refeições pour emporter.

Nos queijos, na presença esmagadoramente maioritária dos originais franceses, matizada por um inglês Stilton ou o italiano Parmesão, realce para os AOC Pyramide Valencay,  Pouligny Saint Pierre Fermier, Livarot ou o mais usual Camembert mas a que não consigo resistir (trouxe um: já com algum tempo de cura, deliciou-me o jantar e foi difícil parar) e ainda ao muito localizado Gaperon d'Auvergne que me deixou curioso para descobrir.







Nas charcutarias, um mundo de guloseimas: entre muitas, saucisse seche d'Auvergne, salsichões vários, salsicha de Toulouse, rillettes, patés múltiplos e foie gras vários e as almejadas andouillettes (da degustação das quais falarei em próxima entrada).









Vinho e champagne a que, desta vez, não prestei muita atenção, gaufres e gaufrettes em caixas que dá vontade de levar para colocar gulosa e amorosamente a encarar-nos na secretária, misturas de especiarias mais da terra da rosa do que do galo mas também a pedir boleia...






Um amigalhaço, este Júlio, a exigir retorno breve.

Chez Jules, La Charcuterie de Paris
Rua António dos Reis, n°110 - Linhó - 2710-299 Sintra
chezjulesportugal@gmail.com ; http://www.chezjulescharcuterie.com/ ; https://www.facebook.com/jules.charcuteriedeparis
Tel. : 218 068 190

Comentários

PedroCG disse…
É mais ooh cá cá... :)

Nos últimos 30 dias...