Verão

A culpa é deste tempo langoroso que convida a vários ócios. Comer, beber e amar, como diria Reis mas também olhar a luz da cidade - não a da soturnidade, não a da melancolia - essa luz que transforma Lisboa em coisa rara, em coisa amada, em objecto do desejo.

Objecto do desejo ainda mais profundo quando olhado de longe - tão longe mas tão perto!



Um lento vinho e lusas pataniscas com arroz de feijão.




Who wants to be a millionaire?

Comentários

Nos últimos 30 dias...