Vale do Gaio, lugar de paz

A Primavera - ainda que incipiente - permite desde já estas estratégias, estes hedonistas gestos, estas cedências à tentação.


Face ao espelho de água da barragem que decora a vista da pousada do Vale do Gaio, resta-nos descansar os sentidos nos rosados tons do anoitecer tardio, enquanto a mesa vai sendo aprontada, nas profusas almofadas e espreguiçadeiras do deck fronteiro.


A cozinha balanceia-se entre a tradição alentejana e o gosto de autor e está em sintonia com a envolvente: mima-nos, enleia-nos, gulosa-nos.


Finas fatias de cabeça de xara como intróito (alguém pode explicar a algumas cabeças moderninhas que fazer mais alguma coisa a este equilíbrio de preparação é estragar o trabalho de muitas horas de artífices empenhados e ajudar a enterrar a sua própria reputação?) de suavidade extrema, a pedir segunda volta, e uma terceira...


Pleurotos em alho e azeite, um sabor outonal para saudar o início da noite.


Almôndegas de choco com arroz manteiga , um prato inusitado mas com sabores muito domésticos, longínquas memórias de despreocupadas infâncias.


Bochechas de porco preto, guisadas em vinho tinto, com açorda de espargos, sabor concentrado do Alentejo


Uma bela sessão.

Vale do Gaio Hotel
Barragem Trigo de Morais, Torrão - Alcacér do Sal - 7595-034 Portugal -
Tel. +351 265 669 610 - http://www.valedogaio.com

Comentários

clAud disse…
ao que sei, o vinho da casa vem directamente da herdade do portocarro (tb para estes lados). não chegámos a provar, n? 8)
PedroCG disse…
Sim, não diria "provar" que isso é coisa de pouco - antes tivemos a continuação de um diálogo que começou na primeira vez que por aqui vim. E sim, o vinho da casa vem do vizinho Zé Mota Capitão. Não é um cavalo maluco mas porta-se à altura de um interlocutor bem pensante. :)

Nos últimos 30 dias...