Assinatura: um menu de(s)gustado

Acho que nunca me tinha acontecido desejar com tanta intensidade que uma refeição terminasse o mais depressa possível.


Nunca esperei que tal me acontecesse no Assinatura, ou perante um menu de degustação elaborado pelo chefe João Sá que tão boas recordações me deixou nas visitas ao seu anterior restaurante.


Porque o rigor a que um chefe como Henrique Mouro habituou os seus clientes exigiria um outro tipo de compromisso que o menu degustado não reflectiu, porque sendo os limites de experimentação directamente proporcionais às responsabilidades que os preços pedidos induzem - e os preços praticados no Assinatura fazem supor limites bem apertados - a visita que no passado mês fizemos foi de uma negatividade tal que ainda hoje me custa a esquecer.

Num restaurante consolidado como é o Assinatura, com uma história e um projecto objecto dos maiores encómios, esperávamos que a mudança da equipa não obstasse à continuação de uma oferta criativa mas consolidada.  Não foi isso que encontrámos: erros de associação que nunca deveriam sair do laboratório, falta de mão em alguns temperos, serviço de cozinha lento.

Ficam as fotografias possíveis (a iluminação da sala é um problema desde a inauguração) e a transcrição das notas tomadas no decorrer da refeição. Emotivas, mas após reflexão e a frio, sem razão para serem suavizadas.

Menu de degustação com menu de vinhos sugerido pelo chefe de sala.

"Sobre a mesa


Três pães vulgares - branco, centeio, broa -, secos, a deixar algumas reticências quanto à data de fabrico. Duas "manteigas" a saber a margarina, indigestas, enjoativas, a de satay a saber a conteúdo de pacote. Azeite virgem de Trás-os-Montes, 0,2º.

Saudação do chef 




Brulée de sapateira, trufa de foie gras e chocolate, creme de castanhas. Um assassinato de sabores. O açúcar queimado do brulée anula o sabor delicado da sapateira, o chocolate sobrepõe-se a tudo, a sopa é rugosa. Ménage à trois em que uns gritam e ninguém tem razão. Parece que o chefe "oferece" isto a todos os clientes. Se é assim que os quer conquistar...

Primeiro prato




Ostras ao natural com dashi português (feito com bacalhau seco), tapioca, iogurte fumado e algas. Excesso de texturas, algas difíceis de mastigar, dashi com sabor a limão, aftertaste exagerado a limão, custoso de desaparecer. O sabor das ostras sente-se e permanece mas é o salgado e o ácido que são dominantes.

Casamento com Terras de S.Miguel Dão.

Segundo prato




Moelas de pato confitadas, lingueirão, puré de chalotas, alho desidratado e caldo de carne. Fede a alho, o que é um problema para os meus sentidos ainda a tremer do ácido e da maresia anteriores. Moelas neutras que só ganham vida com o puré. Boa associação de texturas ainda que não perceba a comparência do lingueirão - só dei por ele pela textura, sabor zero.


Bom casamento com o alvarinho de Edmun do Val que é branco e não verde. Haja vinho para lavar (e levar) isto tudo.

Terceiro prato




Ravioli de bacalhau com rebentos de cebola. Insuportavelmente salgado. Crocante da cebola a constituir agradável contraponto à textura do recheio, um pouco empastelado, rebentos com sugestão doce.

Bom casamento com Outeiros Altos tinto.

Quarto prato




Rabo de boi, beterraba cozida e beterraba desidratada, puré de batata e nabo caramelizado com vinho do Porto, molejas. Carne bem preparada. O menos desequilibrado de todos os pratos. Finalmente um pouco de acalmia nesta tortura.


Acertado casamento com um bairrada "domado" - Quinta do Poço dos Lobos -, taninos a contrabalançar  a gordura.

Quinto prato - Pré-sobremesa




Iogurte de alfazema, marmelada, cacau. Nem sim, nem não, antes pelo contrário. Limpa o palato? Refresca? Tem alguma função para além da trouvaille do frasquinho? É pouca quantidade para saborear ou pouca intensidade para esta quantidade. Frase que fica a meio.

Sobremesa




Mousse gelada de chocolate (sifão), gelatina de romã, gelado de castanha e castanha pilada e bolo de chocolate. Que coisa tão feia! Que salganhada. Isto é uma sobremesa de um restaurante de autor ou um prato de buffet de casamento provinciano?

Serviço de cozinha excessivamente longo.

Serviço de sala eficaz."

Resta acrescentar que, para duas pessoas, a conta foi de 167 euros.

Comentários

Wagner Silva disse…
Olá Pedro!

Parabéns pelo seu blog! Suas sugestões gastronômicas são muito inspiradoras....e suas fotos são fantasticas!

Vimos que você tem muitas receitas no seu blog e queremos lhe apresentar www.tudoreceita.pt, um novo site web onde os nossos usuários podem procurar entre mais de 190.000 receitas dos sites e blogs mais populares de Portugal.

No site criamos a secção ¨Top blogs de receitas¨, (http://www.mytaste.pt/top-blogs-de-receitas), um ranking de blogs ao que você também pode adicionar o seu blog.

Nós indexamos as suas receitas e os usuários as podem encontrar utilizando o nosso motor de pesquisa. Dessa maneira nós geramos muito trafico para os blogs do nossos blogueiros.

E você não precisa se preocupar com nada porque tudo no Tudoreceita.pt é grátis!

Tudoreceita.pt tem sites irmãos em Espanha, Inglaterra, França, EU e Suécia, entre 40 outros.

Você quer fazer parte desta grande família?

Também estamos no Facebook ( www.facebook.com/Tudoreceita) e Twitter (https://twitter.com/Tudoreceita )


Estamos à sua disposição!

Nos últimos 30 dias...