Portugal Gastronómico #109 - Alcanena

(Fonte: Wikipedia)

(Fonte: Viajar.clix.pt)

Produtos DOP e IGP:

Integrado na área de produção de:

Bebidas:

Vinhos

Integrado na área de produção de:

  • DOP "Do Tejo", Sub-região Tomar

Outras


Produção concelhia:

Dados de 1989...:

"Este concelho possui três sub-zonas edáficas distintas que revelam características geográficas diferentes, as quais dão suporte a tipos de actividades do sector primário bastante diversas. A "serra", constituída por parte do maciço calcário das serras de Aire e de Santo António. O "bairro", na região Sul do concelho, de relevo ondulado e com solos de média fertilidade, e por uma zona situada entre as duas anteriores, localizada na parte Oeste do concelho, onde dominam os solos de arenitos. Em termos de superfície agrícola utilizada (S.A.U.), o concelho possuía 4.280 ha onde, em 1989, segundo o R.G.A., laboravam 1.229 explorações. As culturas permanentes, onde o olival e os frutos secos representavam cerca de 90%, ocupavam 3.516 ha, ou seja, perto dos 80% da S.A.U. Nas culturas temporárias, as forrageiras e os cereais para grão constituíam as produções predominantes, enquanto que o pinheiro bravo, a extracção de resina e o eucalipto representavam os maiores contributos para o produto florestal. Em termos pecuários, existiam no concelho de Alcanena, em 1989, perto de 22.500 efectivos, representando os suínos, caprinos, ovinos e bovinos os maiores contingentes. Na estrutura do produto agrícola bruto do concelho, a produção vegetal era responsável por 55 %, o produto animal por 38% e a produção florestal pelo restante." (RENATO CAMPOS. "O estado da agricultura", suplemento do Jornal "O Ribatejo" de 5/6/1997; aqui)

Produtores / Fabricantes:


Pratos típicos característicos do concelho:

  • Morcela de arroz
  • Cabrito
  • Migas
  • Carne de alguidar
  • Cachola
  • Rabichas

Doçaria:

  • Broinhas
  • Bolos podres dos santos
  • Mindeiras dos santos (Minde)
  • Bolos dos santos (Minde)
  • Torresmo do Céu
  • Filhós
  • Arroz doce
  • Broas de mel
  • Bolos de noiva
Restaurantes referenciados:

Caneiros, Cantinho do Toino e Facho (todos em Alcanena), Olhos de Água, Peregrino e Tertúlia do Gaivoto (Louriceira), Central, (Vila Moreira), Miranda (Casais Romeiros), Cantinho dos Charutos (Covão do Coelho), Mal Cozinhado (Monsanto), Patanisca Dourada (Raposeira), Pizzaria Vieira (Serra de Santo António), Retiro dos Pacatos (Malhou), e Simões (no Vale Alto).

Pastelarias:

Gena, Broa de Mel, Flor do Campo, Jumaflor e Renault (em Alcanena) e a Avó Olinda (em Minde).

Eventos de teor gastronómico:

Festival do azeite e das Ervas Aromáticas


Festival Gastronómico da Cachola e da Morcela

Edição de 2015:

"O Município de Alcanena vai promover, pelo quarto ano consecutivo, o Festival Gastronómico da Cachola e da Morcela, que decorre de 26 a 29 de novembro de 2015, nos restantes aderentes do concelho, que participam neste desafio de recuperar e divulgar alguns dos sabores mais peculiares desta região, associados à cozinha tradicional e popular das gentes das serras, de Aire e Candeeiros, e do bairro, terras prenúncio do Tejo.

E é das serras, e do bairro, e das atividades tradicionais, como o trabalho no campo, a pastorícia, a tecelagem ou a curtimenta das peles, que são as gentes que fizeram esta gastronomia do trabalho.

A jornada de fábrica ou do amanho das terras, o farnel do pastor ou as viagens de ranchos para as colheitas ou a apanha da azeitona foram, assim, as atividades económicas que formataram, em grande medida, uma gastronomia modelada pela carne de porco, pelos enchidos, pelo bacalhau salgado e pela horta, de onde provinham os produtos alimentares da nossa importante dieta mediterrânea: os vegetais, como a couve, o feijão e a batata, mas também o azeite e as ervas de tempero ou os frutos secos, como o figo ou a amêndoa.

São, pois, estes sabores do trabalho aqueles que agora pretendemos valorizar, tendo na cachola e na morcela de arroz os focos das nossas atenções. Uma oportunidade para refrescar a nossa memória e reavivar paladares antigos marcados pelos traços distintos desta cozinha de um Ribatejo serrano e pelos seus produtos mais típicos, valorizando os modos de confecionar, o nosso saber fazer, mas também os modos de comer e de partilhar, na mesa familiar ou na roda de amigos.

Cada restaurante participante será responsável pela composição de uma ementa, em que serão valorizados os produtos regionais e a gastronomia tradicional." (do site da CMA)

Agradecimentos:


Bibliografia:
Produtos Tradicionais Portugueses, Ed. M.A.D.R.P, 2001
Guia de Compras-produtos Tradicionais 2011, Ed. QUALIFICA/Publiagro
Vinhos e Aguardentes de Portugal, Anuário 2015, Ed. Instituto da Vinha e do Vinho I.P.


EM CONSTRUÇÃO - O post irá sendo actualizado à medida que novas informações sejam obtidas.
Achegas e comentários, bem vindos como sempre

Comentários

E aí no concelho, em Malhou, um muito bom restaurante tradicional, O Malho

Nos últimos 30 dias...