Do prazer e outras histórias

Manhã Submersa:
Pavia envolta em nevoeiro e uma experiência que muito promete para acrescentar cor ao cinzento persistente
Permitam-me começar por uma serena constatação: das coisas importantes necessárias para o sucesso de um restaurante, a qualidade da sua cozinha é a menos importante.

As contas, senhores, as contas que o mundo não se faz só de pro bono nem os negócios vivem de perdas constantes.

E, no entanto, tudo se movimenta à volta do prazer (que não tem preço mas tem um custo) - o prazer de fazer, o prazer de partilhar, o prazer de descobrir, o prazer de ter prazer.

Por isso, quando se organiza um almoço com o desejo de vir a ser tertúlia e se convidam alguns cozinheiros e demais gloriosos malucos das máquinas enogastronómicas que mais se pode esperar ver, ouvir e sentir que não sejam múltiplas variações sobre esse mesmo desejo que rasa a realização, essa pequena morte às vezes cumprida, umas vezes hesitante, outras vezes plena, esse caminhar de ranger dentes, estalar tendões, inspirar, suspirar, inalar, tocar, provar, morder que é a cozinha, a mesa, o mundo?

Em dia de S. Joaquim (Arnaud) vai à adega e faz Tchin-Tchin

Dos bolsos do José Júlio Vintém saíram esta Cacholeira Branca de Portalegre...

... e esta Morcela de Portalegre. Puro paraíso pós-maçã.


Os deuses fazem-nos especialmente duvidar da sua existência quando apõem a tudo o que sabe bem o aviso para os cuidados de saúde secundários. Como pode a ambrósia fazer mal?


Presunto de vaca Joaquim Arnaud: vacas cruzadas e de raça alentejana, cura de sete meses e fumo de azinho e carvalho na última semana
A dobrada: o Touro Lindo! continua a fornecer matéria-prima para elaborações que nos enchem a alma
Queijo Fortunato, de ovelha e cabra
Portalegre, Alentejo

Comentários

Nos últimos 30 dias...