Px em Lx 2014 (VIII) - Provas para repetir



Por mais que a alma me doa (seria mais correcto dizer gula, mas "gulamedoa" soaria a presidente  de clube de futebol português em conferência de imprensa a anunciar a nova-maravilha-de-ponta-de-lança-que-valerá-milhões-de-likes-no-facebook importada directamente de um país futebolisticamente periférico), nunca consigo provar todos os pratos que os restaurantes do Peixe nos oferecem (em troca de uma senha colorida com os logo da organização e do BCE) durante a semana e meia do festival. É uma pena, mas a vida é assim. You can't always get you want.

Croniqueio assim sobre os pratos que a disposição e a disponibilidade... de senha me colocaram à frente. Com, provavelmente, face aos diversos comentários abalizados que fui escutando, manifestas injustiças.

Nobre



O casal inspirador deste projecto que dura há mais de 30 anos e que a todos os furacões da vida tem sobrevivido, andava entusiasmado com o seu creme de lagosta com gengibre e malagueta.

Notas asiáticas, na frescura e no picante, uma preparação feita de gula para quem gosta do lado picante da mesa e do mar.


Um polvo respeitador - das memórias, do bem fazer - a iluminar  um lanche órfão de almoço.



Umai

A propósito de influências asiáticas, Paulo Morais, sempre seguro, sempre mestre, continuou a dar cartas. Para matar saudades do Umai-pai, agora Izakaya, que não visito há mais tempo do que devia.




Avenue


A francesinha de mar de Marlene Vieira. Gostei do resultado da audácia de emprego de atum e sapateira. A gamba a coroar a sanduíche, ainda que para evidenciar o lado marítimo do prato, pareceu um pouco óbvia, visualmente exagerada.





Vítor Sobral

Como bem já escreveu a Susana Novais (Neurogourmet), apesar do sabor, que cativou, o que permaneceu na memória deste prego de skrei foi a reduzida dose oferecida. Não era preciso desexagerar...



Assinatura

O novel chef, Vitor Areias, dá os primeiros passos no que, considerando as promessas deixadas pelo seu anterior projecto, parece vir a ser uma aposta ganha.

Técnica segura, procura de novos sabores e combinações ainda em fase de estabilização, com resultados interessantes. Fica a faltar uma maior atenção ao lado visual, o qual, mesmo descontando o factor "feira", me parece poder ainda chegar mais além.


Mousse de aipo com toques florais


Claro!

A trouvaille do uso do caldo de cozido de grão para complementar o cação. Sabores antigos num sabor novo, a lareira ao canto da cozinha da aldeia com vista para o Terreiro do Paço.


Figos com Nutella e erva doce, a sensação para os gulosos.

Comentários

Nos últimos 30 dias...