Algarve, roadbook parte 3 - S. Brás de Alportel



No âmbito do Festival da Dieta Mediterrânica, integrado no projecto SlowMed, organizado localmente pela In Loco, no âmbito de uma cooperação inter-estados mediterrânicos, com o apoio da UE, foi organizado um percurso gastronómico por todo o Algarve, com o intuito de dar a conhecer, aos participantes estrangeiros e não só, algumas das especialidades da região.


Magical Mystery Tour, lhe chamaram e teve um pouco de cada: a magia que as paisagens emprestam, da placidez do Guadiana, junto a Alcoutim, à vertigem do promontório de Sagres, o mistério dos saberes ancestrais que transforma cada matéria prima em deliciosas - à vista e ao sabor - preparações.


Nesta série, impressões e visões das várias paragens.

(Fonte: viajar.clix.pt)

S. Brás de Alportel, vila de fronteira entre a serra e o barrocal, sede do município homónimo. Terra poupada no número de freguesias (só tem uma), mas rica na diversidade de produção alimentar: pomar de sequeiro (alfarrobeira, amendoeira e figueira), cereais (especialmente trigo e cevada), leguminosas para grão (fava e grão de bico), bovinicultura de carne, culturas hortícolas e horto-frutícolas de ar livre e em estufas. citrinos, azeite e azeitonas. Terra apartada das vantagens litorâneas, no que às benesses financeiras do turismo diz respeito, com um passado económico pujante (principalmente devido à cortiça), acolheu, durante séculos, e graças ao seu clima ameno, a residência de Verão do bispo do Algarve. E foi, nos antigos jardins do paço Episcopal, hoje Jardim da Verbena, que a a autarquia entendeu por bem situar a mostra de gastronomia municipal que nos serviu de almoço.

Almoço volante, com as diversas mesas a ilustrar o que se produz e confecciona no município,





Salada de feijão frade com atum

Salada de cenoura de conserva



Xerém







com destaque óbvio para a doçaria, à base, principalmente, do figo, da alfarroba, da amêndoa, mas também para os cozidos, os jantares de grão com massa, o xerém, o coelho frito, as migas e ainda os queijos frescos com variados condimentos (do Portal dos Queijos), o pão, o azeite e as azeitonas, o vinho, os licores, o medronho..

Depois da foto da praxe,

(Fonte: Algarve Informativo)
um passeio vagaroso pelas ruas da parte antiga, a reflectir na pujança da gastronomia regional algarvia. Edifícios a fazerem sonhar com dias de descanso e leituras prolongadas, grandes sestas e alegres refeições.







Um outro tempo...

Comentários

Artur disse…
Espero que este primeiro momento de (re) descoberta de um Algarve genuíno, de uma gastronomia mediterrânica com personalidade forte, lhe tenha proporcionado tantos momentos de prazer como os que tivemos a organizar esta viagem pelo "Puro Algarve"

Nos últimos 30 dias...